PIERCING E SUAS COMPLICAÇÕES

Três casos de complicações - antes e depois.

fotos piercing - infecção

FONTE: http://www.mdsaude.com/2008/10/piercing.html

O povo da Nova-Guiné centram a sua decoração no nariz, as decorações corporais, servem para conferir ao indivíduo as virtudes do animal de que provém esses adornos. Os Kayapos, perfuram as orelhas dos recém-nascidos e o lábio inferior dos mais pequenos.

 Para os esquimós do Alasca, o piercing do lábio e na língua significavam o momento da transição para o mundo adulto e significava que a criança tinha se tornado caçador.

Na Índia é muito comum, sobretudo as mulheres, furarem o nariz, o septo nasal e as orelhas.O piercing da ala do nariz é proveniente da Índia, onde se reservava às castas mais altas, já o septo nasal perfurado é originário da Nova-Guiné.

Na época dos faraós, o piercing no umbigo era exclusivo da família real. Os antigos Maias praticavam a arte da perfuração, furando os lábios, o nariz e as orelhas.

Existem diversos materiais para as jóias. Apesar de normalmente se dizer que o mais indicado é o aço cirúrgico, tal não é verdade. O ideal será usar material como o titânio ou mesmo o teflon por serem menos reativos e assim produzirem uma menor resposta imunológica, que desencadearia uma alergia ou inflamação. Não é recomendável o uso de Ouro, pois dependendo do sistema imunológico da pessoa, pode ocasionar alguma reação alérgica.

O uso de piercing tem se tornado cada vez mais comum entre os jovens. O que parece apenas um simples exercício de vaidade, pode se tornar um sério problema de saúde.

A falta de controle sobre quem insere o piercing tem causado inúmeros casos de infecções graves. O piercing está longe de ser um procedimento sem riscos. Até 15% das pessoas apresentam algum tipo de complicação e 1% precisam de internação hospitalar.

A pele é o nosso maior órgão de defesa. Ela impede que milhões de bactérias que diariamente entram em contato conosco, atinjam nosso organismo. A nossa pele inclusive é colonizada por bactérias. Quando furamos essa barreira através de um piercing, estamos expondo nosso interior à germes que causam doenças.

Alguns locais como a língua e orelha são mais susceptíveis a complicações. Esta região de cartilagem apresenta uma vascularização sanguínea pobre. Qualquer infecção local pode ser difícil de ser tratada porque não há fluxo suficiente nem de anticorpos, nem dos antibióticos que possam ser prescritos.
Outra complicação é a formação de queilóides, que são cicatrizes hipertrofiadas, que podem ocorrer após processos inflamatórios exuberantes. O quelóide pode ser deformante, como na foto abaixo. Esse quelóide pode ocorrer em qualquer sítio do corpo onde haja uma reação ao piercing.


A língua é outro local que costuma infectar. O problema é o oposto da cartilagem. Ela é um órgão extremamente vascularizado e localizado em uma região com elevada carga de bactérias, como é a cavidade oral. Por esse motivo, qualquer infecção na língua pode facilmente atingir a circulação sanguínea e acometer outros órgãos distantes.


 

FONTES: http://emeauruguaiana.blogspot.com.br/2008/06/piercing-beleza-ou-excentricidade.htmlwww.wikipédia.com.br e

 www.mdsaude.com/2008/10/piercing.html

 

RESPONDA

1) Faça uma relação entre as reações do tecido epitelial e a formação do quelóide na colocação dos piercing.

2) Qual o material mais adequado para a fabricação de um piercing? Por que motivo?

3) Quais partes do corpo são mais propícias a infecção causada pela colocação de um piercing?

 

© 2009 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode